Funçãp do juiz

01/10/1981


Entrevista concedida aos jornalistas Eustáquio Palhares e Luiz Rogério Fabrino, publicada no jornal In, de Vitória, edição de outubro de 1981, ano I, nº. 4. Provocado pelos jornalistas, disse: “Vejo a função de juiz como uma função que tem um misto de ciência e de arte. Um juiz não é um simples aplicador da lei, um simples elaborador de silogismos, nos quais a lei é a premissa maior, o caso julgado a premissa menor, e a sentença, a conclusão. Vejo o ofício de juiz como um ofício de arte, como um ofício humano.” 


Copyright DR JOÃO BAPTISTA HERKENHOFF
Site melhor visualizado na resolução de 1024/768 ou superior
Recomendamos o uso dos navegadores:
Projeto desenvolvido dentro
dos padrões de qualidade:
Desenvolvedor: Aldabra